.

.
“Gay não é sinônimo de homossexualidade masculina. É apenas um movimento equivocado, que se acha porta voz de todos os homens que fazem sexo entre si.” Fraterno Viril.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Aos curiosos que desconhecem as Tradições Viris


Nós não nos reprimimos em absolutamente nada. Não temos abstinência de mulheres, apenas não fazemos sexo com o gênero oposto: simples e sem complicação, é a nossa natureza. Não somos misóginos e nem fascistas, somos libertários. Somos uma pequena parcela de homens másculos que faz sexo exclusivamente com homens, sem normas tolas como “ativo e/ou passivo”.
Somos adultos, independentes e laicos. Não cultuamos o imediatismo, o gayismo, o juvenilismo e o consumismo. Somos homens de todas as idades: dos 21 anos às idades mais avançadas.
Não somos gays (vertente da homossexualidade masculina) ou homossexuais (rótulo criado no séc. XIX). Não “entramos ou saímos do armário”, já que nossa vida privada não diz respeito a ninguém. Não somos uma dissidência dos Movimentos Gay e/ou LGBTT e estamos a léguas de qualquer envolvimento com eles.
Gostamos e nos interessamos por política e cultura, lemos e somos muito críticos. Não somos massa de manobra de partidos políticos e de instituições moralistas e reacionárias (sejam civis, militares ou religiosas).
Queremos distância de pessoas ligadas às religiões opressivas que proliferam de forma constrangedora impondo seus códigos de conduta moral obscurantistas e que infestam os canais de televisão e nossas casas parlamentares com seus perigosos lobbies.
Por questão de civilidade, humanismo e respeito à constituição brasileira vigente, apoiamos os ditos (pelos padrões burgueses): heterossexuais, homossexuais, bissexuais, assexuados, gays, lésbicas, transexuais (ou transgêneros), pansexuais, etc. Mas, estes tipos de vida não nos dizem respeito. Acreditamos que o preconceito e a depreciação a estes grupos sejam compatíveis com sociedades: reprimidas, sem liberdades democráticas, atrasadas, vinculadas a regimes fascistas e teocráticos.
Que fique bem claro: não recrutamos ninguém! Queremos qualidade e não quantidade de camaradas. Evitamos exposição demasiada na mídia, queremos muita discrição. Existem confrarias de todo tipo e para todos os gostos; a nossa futura Fraternidade abrigará apenas aos que confiem e pratiquem as Tradições Viris (TVs). Todos são livres para ter sua própria opinião a respeito de tudo e de todos; e cada homem deve procurar um grupo que tenha ideias semelhantes e compatíveis com a sua.
Temos consciência de que a web virou território livre de desequilibrados, loucos, tolos, psicopatas e criminosos. Mesmo assim, nossos links continuam abertos aos curiosos e interessados pelo nosso Ideário. Quando esta divulgação on line tiver cumprido sua função, adotaremos meios tecnológicos de comunicação mais eficazes e seguros.
Nossas ideias são claras, nosso material é extenso e requer leitura apurada. Somos extremamente criteriosos do ponto de vista cultural e acadêmico. As imagens postadas em nossos links são baseadas em ideais estéticos viris, da Antiguidade greco-romana aos nossos tempos. Não temos pudores burgueses e apreciamos o erotismo másculo.
Alguns de nossos camaradas possuem físico atlético graças à prática esportiva, respeitando seus limites e idades. Outros têm o físico corriqueiro, como a maiorias dos homens. O importante não é a estética e sim nossas qualidades espartanas: caráter, ética, postura, equilíbrio, força interior.
Somos homens comuns, originários de etnias e culturas distintas e vivemos nas diversas regiões deste Brasil continental. Mas, temos também adeptos da TVs no exterior que nos prestigiam e nos honram com apuradas leituras de nossos textos.