.

.
“Gay não é sinônimo de homossexualidade masculina. É apenas um movimento equivocado, que se acha porta voz de todos os homens que fazem sexo entre si.” Fraterno Viril.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Homofobia crescente e as Tradições Viris

Quando será a “Noite dos Longos Punhais” em nosso país?
Este episódio na Alemanha nazista (30 junho - 1º julho 1934) foi o prenúncio da intolerância futura que se estenderia até o final da II Guerra Mundial: numa única noite foram assassinados quase todos os militares homossexuais do III Reich.
Berlim era, até a chegada de Hitler ao poder, uma das capitais mais civilizadas e tolerantes do mundo. Organizações de apoio e defesa aos homossexuais (hoje corriqueiras) surgiram lá e não nos EUA, como muitos supõem.




O Brasil que cultiva uma falsa imagem de liberalidade, não passa de uma terra onde reina hipocrisia, preconceito e violência. Ficamos para trás da Argentina e Uruguay, onde a união de pessoas do mesmo sexo foi aprovada em seus congressos, de forma democrática e civilizada.
Homofóbicos são claramente homens reprimidos e mal resolvidos sexualmente. Héteros reais não se incomodam com homens que fazem sexo com homens.
A temporada da caça recomeçou em nosso país: diariamente homossexuais masculinos são atacados ou assassinados covardemente por homens, ditos heterossexuais. Alguns destes atentados, dignos da SS, foram gravados por câmeras de seguranças e divulgados; os demais, jamais saberemos.
Atente aos cuidados óbvios: não saia sozinho à noite (prefira em grupo), não dê bandeira, não desmunheque, não fale alto em público, aprenda a se defender (defesa pessoal), não saia com estranhos e não os leve para casa, cuidado com sites de encontros, prefira saunas seguras em vez de hotéis de curta permanência. A lista é interminável e repressiva, pois vivemos tempos de guerra civil não declarada no Brasil.
 



Fotos:   
http://www.ggb.org.br/nazismo_artigo.html