.

.
“Gay não é sinônimo de homossexualidade masculina. É apenas um movimento equivocado, que se acha porta voz de todos os homens que fazem sexo entre si.” Fraterno Viril.

sábado, 17 de outubro de 2009

Turismo ou viagens de um adepto das Tradições Viris


Uma viagem (turística ou não) para nós não é este conceito vulgar e banal de classe média e suas constrangedoras implicações: estresses, amolações, filas, famílias ou grupos insatisfeitos viajando juntos, excursões com babacas batucando com camisas e bandeiras brasileiras e outros constrangimentos.
Para nós, o ato de viajar é um retorno à nossa liberdade e verdadeira essência. E quando saímos de casa, para uma grande ou pequena aventura, pedimos proteção aos nossos guardiões.
Os guerreiros antigos constantemente saíam (a sós, com seus parceiros ou em bandos) para recuperar ou recarregar suas energias masculinas, desgastadas do cruel dia a dia. Fodiam e andavam com quem queriam, amorais que eram. Guerreavam, defendiam eticamente seus ideais e pessoas oprimidas. Voltavam (mais revitalizados que nunca) dias, meses ou anos depois; não importando o tempo e sim a necessidade e a qualidade da aventura.
Que a destemida energia dos guerreiros da Antiguidade recaia sobre nós e nos guie para terras nunca desvendadas; e que uma grande e próxima aventura nos fortaleça virilmente. Recuperados, de forma perene ou temporária, estaremos prontos para vencer com dignidade e tranquilidade nossas batalhas diárias.