.

.
“Gay não é sinônimo de homossexualidade masculina. É apenas um movimento equivocado, que se acha porta voz de todos os homens que fazem sexo entre si.” Fraterno Viril.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Para os Silenciosos Machos que fazem sexo com machos


Homenageio o nunca citado exército de machos que fazem sexo entre si, irmãos nossos espalhados mundo afora.
Anos atrás os via com muita frequência em toda parte, eram mais fáceis de serem encontrados. Atualmente andam sumidos e arredios, viraram quase uma lenda: retirada estratégica?
São homens com características peculiares e sutis: quietos, discretos, vivem numa clandestinidade opcional. São de difícil contato e não gostam de serem abordados, são intrigantes e admiráveis.
Aprecio igualmente a ciência e a metafísica. Gosto de ficção científica, do povo que tenta contato com formas de vida inteligente deste vasto universo: os Silenciosos me intrigam tanto quanto. De formação rígida (alguns militares, outros civis), eles só se manifestam em casos extremos; cedo ou tarde, farão contato conosco.
Creio que eles sejam a base das Tradições Viris, um contraponto ao Gayismo. Possuem naturalmente o lado viril que todos admiramos e nos espelhamos.
Observem em suas cidades, em suas viagens, estes nossos admiráveis irmãos. São fáceis de detectar: não são gays revertidos, estão a léguas dos gays lobotomizados ou borderlines, são indivíduos autônomos e extremamente independentes. Nunca entraram no esquemão (casamento / filhos / religiões repressoras / partidos políticos), são respeitados e temidos mesmo em comunidades pequenas.
Todo respeito aos nossos Silenciosos Irmãos: apareçam, vocês nos fazem falta e nos norteiam!