.

.
“Gay não é sinônimo de homossexualidade masculina. É apenas um movimento equivocado, que se acha porta voz de todos os homens que fazem sexo entre si.” Fraterno Viril.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Não sou adepto do Gayismo




Sou minoria no gênero masculino brasileiro, já que a maioria é dominada pela cultura religiosa monoteísta e pelo capital explorador.
Não sou gay ou bissexual. Não faço parte da sigla LGBT (verdadeiro saco de gatos), apesar de toda minha solidariedade e respeito ao antigo e pioneiro movimento gay.
Não compactuo com os valores do atual e ditatorial Gayismo; a bandeira arco íris não faz parte de meus ícones.
Sou homem que faz sexo com homens, sem deixar minha virilidade de lado.
Não tenho namorado ou marido, e sim parceiro ou camarada.
Não pretendo ter cães confinados em apartamentos e tampouco adotar crianças; todo meu respeito a quem o faz.
Meu blog não visa encontros sexuais ou afetivos; ele requer reflexão e pretende atingir homens que tenham orgulho de sua postura sexual e de sua masculinidade.
Não viso quantidade e sim qualidade de leitores atentos para que tenham força e condições de sobrevivência honrosa neste mundo dominado por:
• Homens “programados”, segundo a ideologia das religiões monoteístas e do Tomismo.
• Homens “reprodutores” e fornecedores de mão de obra barata para o mercado de trabalho, segundo a lógica do capital.